Olive Garden ensina como preparar sua famosa sangria que combina vinho, conhaque e licor de curaçau

Olive Garden ensina como preparar sua famosa sangria que combina vinho, conhaque e licor de curaçau

Olive Garden ensina como preparar sua famosa sangria que combina vinho, conhaque e licor de curaçau

São Paulo, dezembro de 2019 – Dia 20 de dezembro é comemorado o dia da Sangria. O famoso drink preparado com vinho e pedaços de fruta é ideal para dias de calor. E para comemorar a data, o Olive Garden, restaurante americano especializado na gastronomia italiana e operada no Brasil pelo Grupo IMC, ensina como preparar a tradicional versão servida no restaurante que tem na receita vinho tinto, conhaque e licor de curaçau.

Ingredientes (rendimento 1 Jarra 800 ml):

1 maçã vermelha
1 maçã verde
4 unidades de morango
1/4 abacaxi
1 laranja pera
150 ml de conhaque
120 ml licor curaçau
100 ml de xarope de açúcar (mel, karo, glucose de milho)
500 ml de vinho tinto seco

Modo de Preparo:

Para começar, corte as frutas em pedaços médios e reserve. Em uma jarra, misture o xarope, licor e o conhaque e na sequência, adicione as frutas e deixe descansar por alguns minutos. Coloque gelo até a metade da jarra e complete o recipiente com vinho tinto. Mexa com uma colher longa até que as frutas se espalhem. Para finalizar, decore com uma rodela de laranja ou com um morango e sirva ainda gelado.

FONTE: 4 Influence

Foto: Divulgação

Inverno e tinto: aquele encontro que combina

Inverno e tinto: aquele encontro que combina

                                                      Veja as melhores indicações para aquecer seus dias frios

por Viviane Oliveira

O inverno está chegando… e os dias frios logo pedem um bom vinho tinto para acompanhar.

Oficialmente, com a mudança de estação, às 12h54, do dia 21/06, o outono dá lugar para o inverno e com a chegada da época mais fria do ano chega também aquela vontade de degustar vinhos tintos.

Mas quais vinhos harmonizam melhor com as baixas temperaturas?!

Vou te contar os que mais me agradam quando o frio chega.

Acho que as uvas mais tânicas são as mais saborosas, pois casam perfeitamente com os pratos mais condimentados e quentes.

  • Cabernet Sauvignon – A rainha das tintas – tem corpo e taninos bem estruturados, muita fruta e presença em boca. Os meus preferidos são os argentinos, seguindo pelos californianos, mas também nada como um bom Cabernet em um corte Bordalês.
  • Syrah – Faz bonito em blends ou sozinha, produz vinhos generosos, apetitosos e com aroma presente de especiarias. Um dos rótulos mais conhecidos com a uva Syrah é o famoso australiano “Penfolds”.
  • Tannat – Quando ouvimos falar dos vinhos de corpo e estrutura do Uruguai, logo a uva Tannat vem à cabeça. Há quem tema o show de tanino e corpo, mas não se assustem com um bom Tannat, seja a uva do Uruguai ou em cortes mundo afora.
  • Malbec – Sua fama é argentina, mas seu berço é francês, toda presença desta casta está em muito corpo e taninos presentes em boca. Experimente combinar Malbec com uma carne condimentada, com molhos com queijo, dá um bom match.

Agora é só preparar o saca-rolhas, aquecer a lareira e bom vinho!

Inverno e tinto: aquele encontro que combina

Nem só de Mendonza vive a Malbec

Por Viviane Oliveira

Dia 17 de abril é o dia da uva Malbec, que produz vinhos com coloração forte, rubi intenso, quase roxo, são vinhos com bons taninos, que variam entre mais fruta e corpo, dependendo da região de produção.
A representatividade da Malbecé grande e não só na Argentina.

Na realidade o cultivo começou na França, mais especificamente na região de Cahors e Bordeaux, assim permaneceu até enfrentar problemas no século XIX relacionados a praga Filoxera, que devastou uma enorme área de vinhedos europeus.
Na década de 50, boa parte dos vinhedos de Malbec em Bordeaux foram eliminados depois de um rigoroso inverno, passando, a partir daí, a ser usada em pequenas quantidades em cortes de vinho da região. Já em Cahors, ela foi replantada e continua sendo a uva principal da região, onde seus vinhos são produzidos, conforme a legislação, com 70% de Malbec e os outros 30%, com Merlot ou Tannat.

Na Argentina a Malbec chega em 1852 e se adapta muito bem ao solo e ao clima e ganhando mercado mundial. São vinhos macios, aromáticos e que harmonizam muito bem com pratos mais condimentados e carne vermelha, por este motivo que os Argentinos valorizam a Parilla com Malbec.

Seja hoje ou qualquer outro dia, abra um espaço na sua agenda para um bom Malbec.

Vinhos e temperaturas baixas

Vinhos e temperaturas baixas

Sopa de Cebola Francesa no pão italiano com queijo gratinado

Aqueça-se com uma boa harmonização no outono

por Viviane Oliveira

É meio que automático, é só as temperaturas baixarem que logo pensamos em vinho.

Este desejo voluntário ou involuntário pela bebida em dias mais frios tem uma razão: o álcool do vinho vai aquecer seu corpo, em especial os tintos encorpados.

Quando as temperaturas baixam, tencionamos por pratos e bebidas de aconchego, como sopas, caldos e fondues e quando as receitas têm mais gordura e estrutura, já é um excelente motivo para os tintos entrarem em ação.

E já que estamos em um canal de gastronomia, bora comentar algumas receitas que você vai ver por aqui com sugestões de vinhos que casam muito bem.

Em breve você vai ver no novo programa “Dá um Caldo”, uma Sopa de cebola Francesa. Vai bem com um Primitivo de Manduria que traz corpo e aroma sutil da região da Puglia na Itália.

Outra opção é um 100% Sangiovese da Toscana, que apresenta corpo leve e acidez acentuada.

Uma receita que você não pode perder é Torta de Frango. O frango geralmente vai muito bem com vinhos brancos, a massa e o recheio têm gordura deixando a receita mais cremosa e pede um belo Chardonnay com passagem por barrica, experimente um exemplar Nacional. O Brasil está produzindo bons vinhos brancos e espumantes, por que não se aventurar?

Bom, em breve você vai acompanhar as receitas na Chef TV, que tal já ir resfriando os vinhos?!

Siga a Vivi Oliveira no Insta: @vivianeoliveirasp / @sense.wine

 

 

Vinho, por que não?

Vinho, por que não?

por Viviane Oliveira

Somos um país tropical com temperaturas chegando na casa dos 40 graus no verão, por isso é natural pensar em bebidas leves e refrescantes, como água de coco, sucos e até a boa cerveja gelada.

Temos o hábito cervejeiro, mas por que não inserir o vinho nos seus hábitos veraneios?

Seja o vinho branco, rosé, espumantes e até os drinks com vinho.

Apesar de todo ritual que envolve o vinho, que não pede nada mais do que uma boa taça e ser servido na temperatura ideal, que no caso dos espumantes é 6°C, brancos e rosés devem ser servidos a 8°C e os tintos de 16°C a 18°C.

Se liga nessas dicas:

– Para que o vinho não perca a temperatura rapidamente, o ideal é sempre ter um balde de gelo para mantê-lo resfriado.

– Harmonize com entradas e petiscos leves, ideais para os dias quentes.

– Beba água entre as taças de vinho, mesmo porque a ideia é se manter hidratado, não é mesmo?!

– Quanto às uvas, escolha as mais cítricas e refrescantes: Sauvignon Blanc, Chardonnay, Riesling, PinotGrigio, Alvarinho, Verdelho etc.

– E se você está no mar ou na piscina, que tal entre uma taça e outra, um bom mergulho?Afinal, é verão.

O que não pode faltar na sua Adega nas festas de fim de ano

O que não pode faltar na sua Adega nas festas de fim de ano

por Viviane Oliveira

São tantas comemorações de fim ano… amigo secreto, happy hours, natal, réveillon.

Estes momentos de entretenimento e descontração com familiares e amigos pedem vinho, você não acha?!

Fizemos uma seleção com dicas ótimas dos vinhos que não podem faltar na sua Adega.

Espumantes

Os vinhos espumantes são conhecidos por apresentarem borbulhas e não importa o tipo que você escolha, pode ser Prosecco, Champagne, Cava, etc., o mais importante é que ele esteja bem gelado, a uma temperatura de 6° a 8° graus.

O açúcar residual na bebida também é muito importante. Escolha de acordo com o gosto do grupo ou seus convidados, veja a diferença para identificar no rótulo.

Nature

Tem apenas 3g de açúcar por litro, ou seja, quase nada

Extra Brut

De 3 a 8g de açúcar por litro, é bem seco

Brut

De 8 a 15g de açúcar por litro, é o seco mais comum

Demi sec

De 20 a 60g de açúcar por litro, para quem gosta de espumante doce, mas nem tanto, é uma excelente escolha.

Dolce

Superior a 60g de açúcar por litro. É doce e uma boa pedida, é o Moscatel.

Brancos

Perfeitos para dias quentes, sejam sozinhos e servidos a uma temperatura de 9° graus ou em drinks, escolha por essas uvas e será sucesso garantido na sua Adega.

Uma dica

Fique de olho na safra, os brancos envelhecem bem com até 3 anos considerando a safra no rótulo, a não ser os que passam por barrica (mas, aí já é um outro assunto que falaremos mais para frente).

Pense nessas uvas – Chardonnay, Sauvignon Blanc, PinotGrigio, Riesling e os famosos vinhos verdes portugueses.

Rosés

Estes vinhos oscilam entre leveza, frescor e bom corpo, por que não?!

Sucesso em festas na piscina, na praia, também é uma boa pedida para dias quentes.

Gelados, em um belo balde de gelo fazem um casamento perfeito com entradas e aperitivos.

Tintos

Perfeitos para acompanhar churrascos e confraternizações e um coringa na ceia de natal.

Prefira os tintos leves e jovens e uvas como PinotNoir, Sangiovese (Chianti sempre é uma pedida).

Com adega cheia e taça na mão, resta apenas um bom brinde! Cheers!

Pin It on Pinterest